Cerveja Petra

A importância da cerveja no Continente Europeu

Continuamos contando a história da cerveja na Idade Média, época em que a bebida se tornou popular, apesar das muitas limitações do período. Sua importância na sociedade medieval era tanta que ia além do alimento: a cerveja era usada também como forma de pagamento de taxas, moeda de troca, entre outras funções sociais e econômicas na Europa.

Existem várias leis de nobres e reis da época que tinham como objetivo proteger a produção da cerveja e os rendimentos que vinham dela. Em 1295, o rei Venceslau garantiu os direitos de produção de um determinado tipo de cerveja, numa área que hoje é ocupada pela República Checa. Em 1489 foi autorizada a criação da primeira associação (guild) de produtores de cerveja  – a Brauerei Beck.

Relatos históricos também contam que, quando Cristóvão Colombo chegou às Américas, descobriu que os nativos já produziam uma bebida parecida com a cerveja, feita a partir de milho. Porém, foram os ingleses que introduziriam a verdadeira cerveja nas Américas, no ano de 1548.

Durante a Idade Média, a cerveja europeia usava diversos aromatizantes e plantas silvestres como o mirto, generalizado na região escandinava mas proibido na Inglaterra, ou o gruyt, um composto de ervas aromáticas utilizado em outras regiões do norte da Europa. O lúpulo (humulus lupulus), conhecido principalmente na Europa centralcomeçava a se destacar como um aromatizante de maior qualidade, e também pelas excelentes propriedades anti-sépticas.

No século VIII, o lúpulo apareceu com força na Boemia e na região de Hallertau, na Baviera alemã (atuais grandes regiões produtoras). Já em 1364, Carlos IV, imperador da Alemanha, promulgava o Novus Modus Fermentandi Cervisiam, que estabelecia o novo modo legal de brassagem, com recurso ao lúpulo. Neste momento fica evidente a diversidade política e econômica que existia na produção cervejeira: de um lado o ducado de Brabante, dependente do império alemão, que adota o lúpulo; do outro a Flandres, dependente da coroa francesa, que prefere o gruyt. Uma curiosidade desta época: a típica ale era conhecida como uma cerveja não lupulizada da Inglaterra.

Com informações do site Cervejas no Mundo

Cerveja Petra

Petra é uma cerveja que respeita a tradição das melhores escolas cervejeiras mundiais.

Comentários (0)

Publicar Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.